Dados recentes sobre a ingestão de sódio na população mundial demonstram que as pessoas consomem muito mais sódio do que a necessidade fisiológica do nosso organismo. Em muitos casos, as pessoas consomem mais do que 2g/sódio/dia = 5g/sal/dia que é o recomendado pela OMS. A Organização Mundial da Saúde recomenda uma redução na ingestão de sódio para menos de 2g por dia a fim de reduzir a pressão arterial sistêmica e o risco de doenças cardiovasculares, derrame cerebral, infarto cardíaco e doença coronariana em adultos.

OMS recomenda uma redução na ingestão de sódio para controlar a pressão arterial sistêmica nas crianças maiores de 2 anos. A redução da ingesta de sal está altamente relacionada com a redução da ingestão de iodo que está presente no sal (sal iodado). A ingestão adequada de sódio recomendada nas crianças é menor do que nos adultos porque a necessidade de energia nas crianças também é menor. Há uma associação positiva entre o requerimento energético diário das crianças e a necessidade de sal.

Estas recomendações se aplicam para todas as pessoas com ou sem hipertensão, incluindo as gestantes e as mulheres em período de amamentação, exceto as pessoas que usam medicamentos que podem causar hiponatremia (baixa concentração de sódio no sangue) ou os pacientes que necessitem de dietas especiais como os portadores de diabetes tipo 1. As recomendações foram baseadas em evidências positivas com relação a ingesta de sódio e pressão arterial, doenças cardio-vasculares, derrame cerebral, infarto do miocárdio, tanto como efeitos adversos de hipertrigliceridemia, catecolaminas elevadas e alteração da função renal. O sucesso da implementação dessas recomendações terá um importante impacto positivo na saúde pública através da redução na morbidade-mortalidade, melhora na qualidade de vida de milhões de pessoas e redução substancial nos gastos na saúde.

Fonte: WHO. Guideline: Sodium intake for adults and children.
Geneva, World Health Organization (WHO), 2012.