DHA é um ácido do tipo Ômega-3, encontrado principalmente em peixes de água fria como salmão e sardinha e somado ao ARA (ácido araquidônico), um ácido da família Ômega-6, contribui bastante para o desenvolvimento da visão e do sistema nervoso central dos bebês. Esses dois componentes são encontrados nos peixes, gema de ovo, linhaça e principalmente o leite materno. O ideal é consumir em torno de 400g de peixe por semana durante a gestação. O hábito deve-se manter durante a amamentação, pois o leite materno vai apresentar mais DHA se a mãe mantiver a alimentação rica neste componente. Para a criança, o DHA e o ARA são essências durante a toda a vida por terem um papel importante na formação da visão e do cérebro.

A revista científica americana American Journal of Clinical Nutrition publicou recentemente um estudo que as mães que apresentavam taxas mais altas de DHA no sangue na hora do parto tiveram filhos que posteriormente obtiveram pontuações mais altas em testes de inteligência. Isso é um começo, mas com certeza já sabemos que é uma substância importante para o desenvolvimento cerebral das crianças em todas as idades. O DHA também ajuda a evitar ou atrasar o mal de Alzheimer e o ARA aumenta os níveis do HDL (colesterol bom) e reduz a chance de doenças cardíacas no futuro.

(Foto destaque: Freepik)