O dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. O dia faz parte da campanha do Setembro Estar ansioso significa sentir-se preocupado, nervoso ou temeroso. Com as crianças não é diferente: elas têm medo e ansiedade com frequência. Contudo, a maioria dos medos infantis são normais, decorrentes do processo de aprendizagem em cada fase e é comum que desapareçam naturalmente.⠀

A ansiedade passa a ser um problema quando se torna disfuncional e impede a criança de realizar tarefas simples, como dormir, brincar com outra criança ou ir à escola. Nesses casos, pode-se falar em transtornos de ansiedade. 20% das crianças ou adolescentes apresentam ou apresentarão algum traço ansioso. Crianças tímidas, que sentem muito medo, fazem muita birra, regridem a fases anteriores e começam a fazer xixi na roupa, por exemplo ou roem as unhas e possivelmente são crianças ansiosas.

Embora seja natural crianças apresentarem essas atitudes em determinadas circunstâncias, se você notar que, em quase todas as situações, seu filho reage de um modo “diferente” do esperado para a idade dele, é provável que tenha um traço de ansiedade. Nesse momento, mantenha a calma, principalmente em momentos em que você notar que seu filho está aflito por conta de uma situação. E o mais importante: procure ajuda de um profissional especialista como um psicólogo especialista em atendimento infantil.